quarta-feira, 22 de abril de 2015

Jacques-Ranciere - o espectador emancipado - desventuras do pensamento crítico

Jacques Rancière (Argel1940) é um filósofo francês, professor da European Graduate School de Saas-Fee e professor emérito da Universidade de Paris.



Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Jacques_Ranci%C3%A8re





Nascimento1940
ArgelArgélia
Nacionalidadefrancês
Influências
Escola/tradiçãoMarxismoEstruturalismo
Ideias notáveisteorias da democracia, igualdade radical

"...É grande a distância entre os discursos para seminários executivos, que lhe servem de base, e a REALIDADE DAS FORMAS CONTEMPORÂNEAS DE DOMINAÇÃO do capitalismo, em que "flexibilidade" do trabalho significa bem mais adaptação forçada a formas de produtividade aumentadas sob ameaça de demissões, fechamentos e relocações do que apelo à criatividade generalizada dos filhos de maio de 68." P. 36

"A emancipação social foi ao mesmo tempo emancipação estética, ruptura com as maneiras de sentir, ver e dizer que caracterizavam a identidade operária na ordem hierárquica antiga. Essa solidariedade entre SOCIAL e ESTÉTICO, entre descoberta da individualidade para todos e projeto de coletividade livre constituiu o cerne da EMANCIPAÇÃO OPERÁRIA" P.37

"...Mas seu nível normal é o da CONSTATAÇÃO DESENCANTADA DA IMPOSSIBILIDADE DE MUDAR O CURSO de um mundo no qual faltaria qualquer ponto sólido para uma oposição à realidade de dominação que se tornou GASOSA, LÍQUIDA, IMATERIAL." "A técnica fundamental do poder hoje é a ESQUIVA, O DESVIO, O SUBTERFÚGIO, o EVITAMENTO, a REJEIÇÃO efetiva de qualquer confinamento territorial, com seus corolários pesados de ordem por edificar, de ordem por conservar e a responsabilidade pelas consequências, tanto quanto a necessidade DE ARCAR COM SEUS CUSTOS" "A força militar e sua estratégia HIT-AND-RUN prefiguravam, encarnavam e pressagiavam o que estava realmente em jogo no NOVO TIPO DE GUERRA DA ERA DA MODERNIDADE LÍQUIDA: não conquistar um novo território, MAS DERRUBAR OS MUROS QUE DETINHAM OS NOVOS PODERES GLOBAIS E FLUIDOS. Esse diagnóstico foi publicado em 2000. NÃO SERIA DIFÍCIL PERCEBER QUE ELE FOI PLENAMENTE COMPROVADO PELAS AÇÕES MILITARES DOS 8 ANOS SEGUINTES." P.38

"AS COISAS NÃO SÃO O QUE PARECEM. Essa é uma frase que nunca corre o risco de ser refutada." P.38