terça-feira, 13 de outubro de 2015

leitura sistematizada APRESENTAÇÃO- As novas regras do jogo: o sistema da arte no Brasil


Maria Amélia Bulhões - UFRGS / USP  / UNIVERSIDADE DE PARIS I, SORBONNE E UNIVERSIDAD POLITECNICA DE VALENCIA.  PPG em Artes Visuais da UFRGS na linha de pesquisa RELAÇÕES SISTÊMICAS DA ARTE, com foco em arte contemporânea e web arte.

Acordo ortográfico da Língua Portuguesa de 1990, em vigor no Brasil desde 2009.

APRESENTAÇÃO: 

campo artístico brasileiro - século XX - tendências globais mas com características PRÓPRIAS DE SUA REALIDADE ECONÔMICA, POLÍTICA E CULTURAL. - século XXI - novos papéis, antigos atores, ascensão de novas figuras. desenvolvimento - assuntos MENOS EVIDENCIADOS nas relações estabelecidas no mundo artístico - questões históricas fundamentais para o entendimento da realidade atual - debate, novas estruturas emergentes. análise da atuação dessas estruturas AFETA a rede de relações dentro do campo artístico como um todo. sistema da arte e demandas conjunturais. marchands, curadores, produtores e colecionadores - processos de institucionalização, profissionalização e internacionalização da PRODUÇÃO LOCAL. perspectiva histórica, emergências como chave para debates a respeito do presente e do futuro da arte. LACUNA no mercado editorial brasileiro - produção de artes visuais - PRODUÇÃO, EXIBIÇÃO E CIRCULAÇÃO de 1960 - atualidade. público específico do ambiente acadêmico - curiosos e interessados no meio de arte no País - escrita clara e objetiva - crítica reflexiva dos assuntos abordados. foge dos modelos de discursos extremamente especializados ou imagens acompanhadas de textos poucos analíticos. linguagem fruto de pesquisas acadêmicas mantendo o rigor da análise - ABERTURA DE LEITURA PARA PÚBLICO MAIS AMPLO. estrutura orgânica, articulação de um grupo de pesquisa - problemáticas da produção artística em suas articulações contextuais no Brasil - segunda metade do século XX e início do XXI. 4 capítulos - 4 membros do grupo - dissertações de mestrado e doutorado - coordenadora do grupo - discutidos em conjunto - articulação de conceitos e conteúdos - edição conjunta - rodadas de leituras dos capítulos - amadurecimento dos textos individuais - encadeamento entre os mesmos - CONSTRUÇÃO FINAL VERDADEIRAMENTE COLETIVA - longa duração e complexidades do objeto - o sistema da arte no Brasil a partir dos anos 1960 - aspecto particular / trabalho pessoal.
capítulo 1 : bases conceituais e processos neste período - pesquisa mais antiga: tese de doutorado de Maria Amélia Bulhões (1990) - conjunto de reflexões que envolvem as novas condições do sistema da arte no país a partir dos anos 1980 - discussão teórica sobre o sistema da Arte - condições de desenvolvimento deste sistema no Brasil dos anos 1960-70.
capítulo 2: Nei Vargas da Rosa - embates de forças e poderes - sistema da arte no Brasil contemporâneo para se adaptar à política econômica a partir da década de 1990 - análise da forma como surgem e atuam os novos atores e instituições. CIRCULAÇÃO, VISIBILIDADE, instrumentos legais como forma de política pública na área cultural.
capítulo 3: Bettina Rupp - relações entre CURADORIA e CAMPO ARTÍSTICO. pluralismo da arte contemporânea - CURADOR: agente de extrema visibilidade. atividade do curador como autor de projetos e sua capacidade em identificar tendências e temáticas emergentes, articulando conceitos críticos. 
capítulo 4: Bruna Fetter - mercado de arte no Brasil, arte contemporânea, crescimento evidenciado.favorável momento econômico brasileiro, jovens colecionadores, novas galerias, como as feiras de arte se consolidam no calendário internacional de eventos. atuação do governo na INTERNACIONALIZAÇÃO DA ARTE BRASILEIRA - políticas públicas e projetos de incentivo, reflexos - GALERIAS, ARTISTAS, COLECIONADORES.

PROBLEMÁTICA DO LIVRO: observar na realidade empírica a EXISTÊNCIA e o FUNCIONAMENTO do sistema da arte. lutas no seu interior. relações com o processo histórico.MUDANÇAS no sistema da arte - transformações da própria sociedade. ARTE: SEGMENTO ESPECÍFICO de todas as práticas estéticas em uma sociedade, UMA PARTE ADMINISTRADA E CONTROLADA PELO SISTEMA DA ARTE.amplo conjunto de produções visuais à MARGEM das manifestações denominadas artísticas. incorporação de obras e produtores marginais ao sistema. determinantes internas e demandas da sociedade. MUNDO DA ARTE NO BRASIL, condição de região periférica no circuito internacional. sua elite enquanto SEGMENTO NÃO HEGEMÔNICO DA BURGUESIA INTERNACIONAL. mundo moderno e contemporâneo ocidental - MUDANÇAS - FORMAS DE RENOVAÇÃO. sociedade de consumo: NOVO: garantia de permanência e continuidade da estrutura social capitalista. continuidade interessa aos grupos dominantes, privilégios, renovação constante dos SIGNOS DE DISTINÇÃO, entre eles o SISTEMA DA ARTE. circunstância de constantes renovações. EVITAR A APROPRIAÇÃO DOS CÓDIGOS DA ELITE pelo grosso da população. dessacralização e perda de status. 

"A renovação permanente responde às exigências da sociedade de consumo em seu constante atualizar-se, mas também às necessidades de renovação para MANTER A ELITE FORA DE UM CONSUMO GENERALIZADO." P. 12

CONJUNTO DE REFERENCIAIS DOS INTEGRANTES DO MEIO ARTÍSTICO: habitus, posições sociais e posições na ESTRUTURA DO SISTEMA. 

"O processo de construção de uma história da arte é permeado pela INTROJEÇÃO que os integrantes do sistema fazem de seu papel." P.13