segunda-feira, 13 de abril de 2015

Silvio ZAMBONI - continuação / PARTE 2

"O tipo de explicação dado pela arte é diverso do científico, já que o conhecimento fornecido pela ciência é sempre de caráter explicativo..." "...o que existe são formas de pensamento que mais usualmente se relacionam ao tipo de atividade..." "Uma das diferenças entre essas formas é que a explicação na ciência é sempre de caráter geral, enquanto a explicação artística é extremamente particular, não passível de grandes generalizações, mas transmite mensagens de natureza bastante ampla.". "...existem formas complementares do conhecimento, regidas pelo funcionamento das diversas partes de um cérebro HUMANO e ÚNICO." P.23

2.***INTUIÇÃO, INTELECTO E CRIATIVIDADE EM ARTE E CIÊNCIA.



"A função verbal é uma especialização preponderantemente do hemisfério esquerdo, enquanto a função visual-espacial é especialização do hemisfério direito. Entretanto, isso não quer dizer que as funções sejam EXCLUSIVAS de um ou outro hemisfério." "...AMBOS são da mais alta importância para o ser humano, apesar de chamar o hemisfério esquerdo de DOMINANTE e o direito de SECUNDÁRIO." P.24


http://pt.wikipedia.org/wiki/John_Eccles

John Carew Eccles (Melbourne27 de Janeiro de 1903 —Locarno2 de Maio de 1997) foi um neurofisiologistaaustraliano.
Foi agraciado com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1963, por realizar pesquisas sobre o mecanismo dosimpulsos nervosos e seu modo de transmissão.

"A linguagem está intimamente ligada à atividade RACIONAL. Falar da parte racional do cérebro humano por meio da expressão verbal é como usar uma "metaexplicação". "...dai SER MUITO MAIS FÁCIL EXPLICAR TUDO O QUE É RACIONAL, ou seja,  tudo o  que ocorre na parte esquerda do cérebro." P .24 

"...o hemisfério  dominante pode somar, subtrair e multiplicar...é claro que esse domínio é derivado de sua habilidade VERBAL E IDEACIONAL, e de sua ligação com a CONSCIÊNCIA...o hemisfério SECUNDÁRIO  se sobressai em muitas características importantes, especialmente no que se refere às HABILIDADES ESPACIAIS, DE SENTIDO MODELAR E PICTORIAL fortemente desenvolvidos." "quando o hemisfério secundário programa a MÃO ESQUERDA, ele é altamente superior em todas as espécies de DESENHOS GEOMÉTRICOS e de PERSPECTIVA." P. 25

Mário Schenberg (Recife2 de julho de 1914 — São Paulo10 de novembro de1990) foi um físicopolítico e crítico de arte brasileiro, de origem judaica.
Considerado o maior físico teórico do Brasil, Schenberg publicou trabalhos nas áreas de termodinâmicamecânica quânticamecânica estatísticarelatividade geralastrofísica e matemática. Trabalhou com José Leite Lopes e César Lattes, e foi assistente do físico ucraniano naturalizado italiano Gleb Wataghin. Colaborou com inúmeros físicos de prestígio internacional, como o russo naturalizado americano George Gamow e o astrofísico indiano Subrahmanyan Chandrasekhar. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Física de 1979 a 1981 e diretor do Departamento de Física da Universidade de São Paulo de 1953 a 1961, onde também foi professor catedrático.
Schenberg teve ativa participação política, sendo eleito duas vezes deputado estadual de São Paulo. Em função de suas ligações com oPartido Comunista Brasileiro (PCB), foi cassado e preso mais de uma vez pela ditadura militar brasileira. Mario Schenberg também mantinha grande interesse por artes plásticas, tendo convivido com artistas brasileiros como Di CavalcantiLasar SegallJosé PancettiMário GruberCândido Portinari, e também estrangeiros, como Bruno GiorgiMarc Chagall e Pablo Picasso. Atuou também como crítico de arte, escrevendo diversos artigos sobre artistas contemporâneos brasileiros como Alfredo VolpiLygia Clark e Hélio Oiticica.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A1rio_Schenberg

"temos vários cérebros e não um só. Temos um cérebro de réptil, temos o cérebro de mamífero e temos o cérebro mais racional...Talvez um artista viva mais com o cérebro de réptil, que é onde, provavelmente, surgem os sonhos e as intuições." "...vão sendo explicados certos fatos que até então eram cobertos de mistério" "...A própria ATIVIDADE ARTÍSTICA sempre esteve envolta por uma AURÉOLA NEBULOSA..."P.25

"...devido à dificuldade de se traduzir para um CÓDIGO VERBAL alguns processos de trabalho da parte menos racional dessa atividade."  "Valery aborda com clareza a questão DA INTERPOSIÇÃO DO INTELECTO à SENSIBILIDADE como EXPERIÊNCIA SENSORIAL". 


"A profª Betty Edwards criou um método para o ensino do desenho que aciona o conhecimento intuitivo para o aprendizado." "No caso do desenho é necessário inicialmente SE AFASTAR o racional para que o INTUITIVO POSSA FLUIR."  "O próprio aprendizado do desenho no fundo, É UM TREINAMENTO DA PASSAGEM DO HEMISFÉRIO ESQUERDO PARA O DIREITO. Ou seja, para se desenhar é de fundamental importância CONCENTRAR A ATENÇÃO NAS INFORMAÇÕES PURAMENTE VISUAIS." P.26

"Quando se requer a ANULAÇÃO DO PENSAMENTO RACIONAL e das palavras para mergulhar na intuição pura, uma técnica aconselhada consiste em CONTEMPLAR FIGURAS GEOMÉTRICAS REGULARES..." P.27



Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Don_Juan_Matus
Don Juan Matus é um personagem na série de livros sobre Nagual, criado por Carlos Castaneda.
Índio Yaqui de Sonora, mestre de Carlos Castaneda. Don Juan ficou conhecido devido aos livros de Castaneda, antropólogo até então, quando o trouxe a conhecer sua proposta cognitiva, conhecida por Nagualismo. Don Juan foi umNagual, o líder de um grupo de xamãs do México em busca do que chamavamLiberdade Total. Ao transmitir seu conhecimento para Carlos Castaneda, Don Juan sabia que ele seria o último elo de uma linhagem de dezenas de gerações, e exigiu de seu aprendiz que fechasse a porta com 'chave de ouro'. comprometido e sem poder perpetuar a linhagem de Don Juan, Castaneda trouxe a público todo o conhecimento secreto daqueles bruxos, que até então viviam em relativo isolamento no México. Dentre alguns dos conhecimentos estão as práticas de Tensegridade, e as práticas de Ensonho.
De acordo com Castaneda, Don Juan nasceu, possivelmente, em 1891, tendo, ainda de acordo com Castaneda, alcançado aLiberdade Total no ano de 1974, conforme relatado no livro Porta Para o Infinito.
O conceito de Liberdade Total, tal como apresentado na obra de Carlos Castaneda, é o objetivo a ser alcançado pelos praticantes do sistema ensinado a Castaneda pelo feiticeiro mexicano Don Juan Matus.
Os ensinamentos de Don Juan, expostos por Castaneda, dizem que o universo é composto por feixes de energia. Todos os seres, inclusive os humanos, são compostos por um casulo de energia que retém alguns desses feixes. Alguns dos feixes contidos no interior dos seres podem entrar em sintonia com os feixes do mesmo tipo que se encontram livres no universo, ligando-se através de uma abertura no casulo energético do ser. O produto dessa sintonia é a consciência e o ponto onde ela ocorre dentro do casulo é chamado ponto de aglutinação. Ao longo da vida do indivíduo, esse casulo perde sua consistência terminando por se desfazer. No momento em que o casulo é desfeito, ocorre a morte do indivíduo e os feixes de energia neles contidos retornam ao universo. A consciência produzida durante a vida do ser é consumida no processo por uma entidade cósmica denominada por Don Juan como "a águia".
Conforme Castaneda nos relata, Don Juan afirmava que havia uma possibilidade para os seres de desfazerem-se do seu casulo energético (o que corresponde à morte corporal) sem ter sua consciência consumida pela águia. Dessa forma, o indivíduo reteria sua consciência mesmo após a morte do corpo. Esse estado era chamado por Don Juan de "Liberdade Total".
O conceito de Liberdade Total é descrito por Castaneda em diversos livros, sendo que os principais são:
  • O Presente da Águia
  • O Fogo Interior
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Liberdade_total

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Castaneda

Carlos César Salvador Arana Castañeda, conhecido apenas como Carlos Castaneda (Cajamarca ou Juqueri25 de dezembro de 1925 — Los Angeles27 de abril de 1998), foi um escritor e antropólogo formado pela Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA); notabilizou-se após a publicação, em 1968, de sua dissertação de mestrado intitulada The Teachings of Don Juan - a Yaqui way of knowledge, lançado no Brasil como A Erva do Diabo.

".. .embora seja indiscutível a especialização das funções dos hemisférios cerebrais, possivelmente nenhuma atividade humana em que se utilize o cérebro tenha A PARTICIPAÇÃO DE SOMENTE UM HEMISFÉRIO." "A parte criativa  (hemisfério direito) tornar-se-ia incógnita no sentido de uma explicitação verbal, se não passasse por uma codificação formal-racional (hemisfério esquerdo)." P.27 Exemplo: música.

"Einstein dizia que raramente pensava com palavras, pois primeiro ELE TINHA UMA FORMA DE PENSAMENTO VISUAL (ÍCONES), e só depois fazia a tradução de seus produtos em outros SIGNOS, como fórmulas, equações ou linguagem verbal." "ESTEREOTIPADA CONCEPÇÃO: o cérebro do CIENTISTA é somente racional e linear e o cérebro padrão DO ARTISTA que funciona  somente pelo seu lado INTUITIVO." P.28

"NÃO EXISTE um cérebro padrão, mas pode existir uma PREPONDERÂNCIA de um em relação ao outro.Os hemisférios cerebrais são utilizados da mesma forma QUE USAMOS MAIS UMA PARTE DO CORPO QUE A OUTRA." Exemplo: tenista e jogador de futebol. "...cada atividade intelectual aciona as partes cerebrais de maneira diferente." "CADA ATIVIDADE INTELECTUAL aciona as partes cerebrais de maneira diferente." "Podemos relacionar, ainda que de forma grosseira, o RACIONAL com o CONSCIENTE, e a INTUIÇÃO com o INCONSCIENTE." MEMÓRIA CONSCIENTE e MEMÓRIA INCONSCIENTE. "A mente inconsciente é um repositório de informações acumuladas no passado, ao qual não temos acesso fácil e imediato." "Quando se PENSA QUE ALGO FOI ESQUECIDO, na realidade esse algo passou para o INCONSCIENTE." P.29

Fonte: http://www.psiqweb.med.br/site/?area=NO/LerNoticia&idNoticia=330

SISTEMA ECTOPSÍQUICO de Carl Jung: psique como uma sequência de camadas:
1-SENSAÇÃO ( receber informações do mundo dos objetos exteriores)
2-PENSAMENTO (entram as coisas recebidas pelos sentidos - lhes é atribuído um nome)
3-SENTIMENTO (surgirá em relação a elas - camadas de sensação e pensamento)
4-CONSCIÊNCIA (DO DESTINO DAS COISAS PERCEBIDAS)
*INTUIÇÃO, que nos faz ver o que está acontecendo nos cantinhos mais escondidos.
"Aprofundando-se mais, encontra-se o INCONSCIENTE PESSOAL e em último nível o INCONSCIENTE COLETIVO". P.30

Fonte: http://psicoterapiajunguiana.com/conceitos/mapa-conceitual/

"Etimologicamente falando, a intuição é um conhecimento direto, sem uso de RACIOCÍNIO DISCURSIVO. É nesse sentido que se diz que a intuição é uma PERCEPÇÃO,  VISÃO ou CONTEMPLAÇÃO." P.30

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Jacob_Bazarian

Jacob Sagh Bazarian - Hagop Sagh Bazarian (2 de outubro de 1919 - 21 de janeiro de 2003), filósofo brasileiro de origem armênia, nasceu em Marach naTurquia. Em 1927, sua família emigra para o Brasil. Em 1945, concluiu licenciatura em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP). Nos anos 40 foi militante do Partido Comunista Brasileiro. Em 1949 exilou-se em Paris. Em 1954 mudou-se para a cidade de Moscou (URSS) para concluir seus estudos de Filosofia, quando defendeu (1956) tese de doutorado em Ciências Filosóficas no Instituto de Filosofia da Academia de Ciências da União Soviética, atualAcademia de Ciências da Rússia.
Ele começou sua vida de armênio errante aos 3 anos. Foi levado para a Síria e depois para a França. Chegou ao Brasil e aqui viveu 20 anos, até‚ iniciar sua viagem de volta. Seguiu para a França, depois para a Armênia. E retornou ao Brasil.
Nessas passagens todas conheceu a miséria. Queria saber quais seriam as razões da injustiça social. Pensava em Deus e questionava-o. A indignação e a dúvida a conduziram à procura da verdade devida à luta por um regime de justiça social.
Tornou-se descrente do cristianismo e também de todas as religiões. Estudou filosofia e encontrou novas vivências teóricas e práticas. Entretanto, percebeu que algumas doutrinas filosóficas racionalizavam a injustiça social, legitimando o regime capitalista. E descobriu que o marxismo possibilitava compreender e interpretar o mundo e a sociedade para transformá-los, para torná-los melhor. Entrou no movimento comunista e sofreu perseguições, que o levaram ao exílio na França. Expulso deste país, foi para a União Soviética onde conheceu o socialismo real existente (SOREX).
A longa passagem pela União Soviética foi fundamental para o pensador que foi. La aprendeu a distinguir a realidade do mito - a realidade nua e crua, daquela oferecida pela versão oficial. E apesar da desilusão com o regime soviético por não corresponder aos ideais de Marx e Lênin continuou até o fim adepto da filosofia do materialismo dialético e histórico - a lutar por um mundo melhor, fala sempre que era um socialista democrático.
Na volta ao Brasil, ele resolveu continuar aqui sua procura por um regime justo, democrático e humano, talvez, destinado ao mundo inteiro. É o que Jacob Bazarian contribui continuamente, a sua vida inteira, para melhorar o mundo, antes, tratando de melhorar o homem. Foi professor nas faculdades de Itapetininga-SP e deixou vários livros escritos.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Henri_Bergson
Henri Bergson (Paris18 de outubro de 1859 — Paris, 4 de janeiro de 1941) foi um filósofo e diplomata francês.
Conhecido principalmente por Ensaios sobre os dados imediatos da consciência,Matéria e MemóriaA evolução criadora e As duas fontes da moral e da religião, sua obra é de grande atualidade e tem sido estudada em diferentes disciplinas -cinemaliteraturaneuropsicologiabioética, entre outras.
Recebeu o Nobel de Literatura de 1927.
"Através da intuição, problemas que julgamos insolúveis vão se resolver, ou se dissolver." "A intuição OCORRE SEMPRE QUE FALTAREM MEIOS EMPÍRICOS E RACIONAIS PARA PROCESSAR O CONTATO COM O MUNDO. É um salto, um pulo que racionalmente NÃO SE SABE como se deu." P.31

"O que quero dizer é que a INTUIÇÃO É UM TIPO DE PERCEPÇÃO que não passa exatamente pelos sentidos; NÃO SEI COMO SE PROCESSA." "Em arte, a intuição é de importância fundamental. A arte NÃO TEM PARÂMETROS LÓGICOS de precisão matemática,  NÃO É MENSURÁVEL...sendo produzida e assimilada por IMPULSOS INTUITIVOS; a arte é SENTIDA e RECEPTADA, mas de difícil TRADUÇÃO PARA FORMAS INTEGRALMENTE VERBALIZADAS." " Os críticos, alguns artistas e teóricos da arte conseguem RACIONALIZAR E VERBALIZAR uma parte do todo, mas a outra só pode ser produzida, transmitida e receptada por OUTRA LINGUAGEM QUE NÃO A VERBAL." "...o CIENTISTA TAMBÉM INTUI, quando lhe faltarem dados lógicos e objetivos". P.32

Maria Jose Rodrigues Faria Coracini

Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 1A

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/4564835681069685
  • Última atualização do currículo em 29/08/2014


Sou graduada em Letras: Francês-Português pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (1972), mestre em Letras (Língua Francesa) pela Universidade de São Paulo (1981), doutora em Ciência: Lingüística Aplicada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1988), Livre Docente (2000) e professora titular (2007) em Lingüística Aplicada na Área de Ensino/Aprendizagem de Língua Estrangeira pela Unicamp (2000). Tenho pós-doutorado junto ao Centre Inter-universitaire en Analyse du Discours et Sociocritique des Textes (Ciadest) e ao grupo de pesquisa Marges (Marginalisation et Marginalité dans les discours), em Montréal, Canadá (1992-3). Mais recentemente, fiz um estágio pós-doutoral junto à Université de Paris 3 (Sorbonne Nouvelle), Sylled (abril-junho 2006), e junto à Universidade de Lisboa (Faculdade de Ciências da Psicologia e Educação), também em 2006, por três meses. Atualmente, sou professor titular MS-6 na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Com experiência em Lingüística Aplicada, atuo principalmente, nos seguintes tópicos: ensino-aprendizagem (LM e LE), discurso de/sobre novas tecnologias,discurso de/sobre a pobreza, discurso científico, discurso pedagógico, tradução, identidade, leitura, escrita, subjetividade. Do ponto de vista teórico, trabalho no espaço movediço e escorregadio das fronteiras opacas e difusas entre discurso, psicanálise e desconstrução, na tentativa de compreender sempre mais as subjetividades em travessia: entre línguas-culturas, entre si e o outro - o outro de si... (Texto informado pelo autor)
"Coracini  faz uma série de ENTREVISTAS com vários cientistas, e a GRANDE MAIORIA ADMITE O USO DA INTUIÇÃO PARA REALIZAR PESQUISAS CIENTÍFICAS." "A intuição nada mais é do que uma FORMA DE SABEDORIA."P.32
"Há muitos MITOS sobre a forma do trabalho cerebral de cientistas e artistas." "A CRIATIVIDADE ESTÁ LIGADA À INTUIÇÃO, mas não é propriamente um produto do inconsciente." "Uma importante corrente de PSICANALISTAS NEOFREUDIANOS vincula a CRIATIVIDADE às produções do PRÉ-CONSCIENTE. A PRÉ-CONSCIÊNCIA difere do inconsciente porque pode ser REQUISITADA quando existe um relaxamento da parte racional." "A criatividade é um PROCESSO DE BUSCA DE SOLUÇÕES INTERIORES, mas as soluções COMEÇAM A SE TORNAR CONSCIENTES À MEDIDA que vão ganhando UMA FORMA." "...elas precisam TOMAR ALGUMA FORMA APREENSÍVEL PELO APARATO RACIONAL...é necessário SUBMETER A IDÉIA A ALGUMA FORMA DE LINGUAGEM, sejam palavras, fórmulas, símbolos." P.33
"O racional necessita de ELEMENTOS ENUMERÁVEIS, COMPARÁVEIS, ORDENÁVEIS." "...SEQÜÊNCIAS DE MOVIMENTOS CRIATIVOS (INTUITIVOS), seguidos de ordenações racionais." P.34
Insight ou Insights podem referir-se a:

Em psicologiaintuição é um processo pelo qual os humanos passam, às vezes e involuntariamente, para chegar a uma conclusão sobre algo. Na intuição, o raciocínio que se usa para chegar a conclusão é puramente inconsciente, fato que faz muitos acreditarem que a intuição é um processo paranormal ou divino. Seu funcionamento e até mesmo sua existência são um enigma para a ciência. Apesar de já existirem muitas teorias sobre o assunto, nenhuma é dada ainda como definitiva. A intuição leva o sujeito a acreditar com determinação que algo poderá acontecer.

Do latim intuitione, formato a partir da união de "in-" (em, dentro) e "tuere" (olhar para, guardar). No português, provavelmente uma inflexão do francês "intuition" (contemplação, conhecimento imediato, pressentimento que nos permite adivinhar o que é ou deve ser), originado do latim.

Intuição significa para Henri Bergson apreensão imediata da realidade por coincidência com o objeto. Em outras palavras, é a realidade sentida e compreendida absolutamente de modo direto, sem utilizar as ferramentas lógicas do entendimento: aanálise e a tradução. Isto é, a intuição é uma forma de conhecimento que penetra no interior do objeto de modo imediato sem o ato de analisar e traduzir. A análise é o recorte da realidade, mediação entre sujeito e objeto. A tradução, é a composição de símbolos linguísticos ou numéricos que, analogamente a primeira, também servem de mediadores. Ambas são meiosfalhos e artificiais de acesso a realidade. Somente a intuição pode garantir uma coincidência imediata com a realidade semsímbolos nem repartições.

"Não existe nenhum caminho lógico para a descoberta das leis do Universo - o único caminho é a intuição" - frase atribuída aAlbert Einstein (1879-1955)
"Se o senhor quer estudar em qualquer dos físicos teóricos os métodos que emprega, sugiro-lhe firmar-se neste princípio básico: não dê crédito algum ao que ele diz, mas julgue aquilo que produziu. Porque o criador tem esta característica: as produções de sua imaginação se impõem a ele, tão indispensáveis, tão naturais, que não pode considerá-las como imagem de espírito, mas as conhece como realidades evidentes." - Albert Einstein.
Opondo-se diretamente a DescartesCharles Sanders Peirce nega que tenhamos o poder de conhecer de maneira imediata ou intuitiva nossos próprios pensamentos (autoconhecimento). Embora negue a intuição cartesiana, sustenta que nosso acesso ao mundo exterior se dá a partir da abdução, que é um quasi-pensamento de caráter instintivo. Esse tipo de inferência é fundamental para as descobertas. Para Peirce, o conhecimento de um pensamento é a interpretação do mesmo em outro pensamento. Nessa interpretação, o pensamento interpretado pelo pensamento posterior é signo-pensamento, e o pensamento que interpreta o pensamento anterior é interpretante. Esse processo, chamado semiose, parte, portanto, de nossos instintos, mas não de intuições a partir de conceitos a priori.

"A criação na realidade, é um ORDENAMENTO, é SELECIONAR, RELACIONAR e INTEGRAR ELEMENTOS QUE EM PRINCÍPIO PARECIAM IMPOSSÍVEIS." "...e quanto mais o cientista ou o artista TRABALHAR A QUESTÃO, MAIS CLARA E ELABORADA ELA SE TORNARÁ." P. 34

Ipso facto é uma frase latina, que significa que um certo efeito é uma consequência direta da ação em causa, em vez de ser provocada por uma ação subsequente, como o veredicto de um tribunal. É um termo usado em filosofia da arte, direito e ciências.

CRIAÇÃO ARTÍSTICA - VISÃO PESSOAL DO ARTISTA / CRIAÇÃO CIENTÍFICA - VISÃO PESSOAL DO CIENTISTA

"Tanto  em arte como em ciência o ATO DA CRIAÇÃO É O SURGIMENTO DE ALGO ORIGINAL, uma ordenação que assume um caráter QUE REMETE AO NOVO." "...pode-se até NEGAR A EXISTÊNCIA DA CRIAÇÃO: tudo nada mais é que um ORDENAMENTO JÁ EXISTENTE."  "Uma outra postura assume que QUALQUER REARRANJO DE FATORES EXISTENTES É, POR SI SÓ, UMA FORMA DE CRIAÇÃO, POIS UM ORDENAMENTO, DESDE QUE SEJA ORIGINAL, passa a constituir ALGO INÉDITO NO QUAL HOUVE CRIAÇÃO..."

A fonte, 1917 - Marcel Duchamp

"...a CRIATIVIDADE está intimamente ligada À SENSAÇÃO DE DESCOBERTA" P.35


Abraham Moles (1920-1992) foi um engenheiro elétrico e engenheiro acústicofrancês, além de doutor em física e filosofia. Também foi professor de sociologia, psicologia, comunicação, design na "Hochschule für Gestaltung d'Ulm" e nas universidades de Estrasburgo, San Diego, México e Compiègne.
Ele foi o fundador do Instituto de Psicologia da Comunicação Social, em ULP, conhecido como Escola de Estrasburgo pelos alunos universitários de todo o mundo, hoje reunidos na Association Internationale de Micropsychologie et de Psychologie Sociale des Communications.

Status nascendiPauta de ação primária, a preparação.